Ontem à noite (11-12-15) foi o dia do dudu dormir na escola. Em resumo um dia de alegria (nosso menino está crescendo) e ao mesmo tempo uma noite de preocupação (será que está bem? Será… Será…).

Antes de leva-lo para escola passamos no mercado para comermos alguma coisa.

Enquanto comíamos, o dudu comentou “Gabriel posso brincar um pouco nos brinquedos?” Eu respondi “hoje não dudu, pois logo teremos que ir para a escola e você vai suar se for brincar agora.” (eu sendo adulto chato e conservador).

Ele ainda não satisfeito questionou “mas nós não vamos agora, é só a noite “. Tirou está conclusão pois estávamos em um dia de verão e as 18h o sol ainda nos acompanhava.

Então tive que fazer toda uma explicação sobre o horário de verão e retornei o comentário justificando que iríamos nos atrasar.

Mesmo não muito satisfeito ele entendeu e fomos para o carro que estava no estacionamento do supermercado, lá chegando assim que ele entrou no carro, enquanto se “arrumava” na cadeirinha viu alguém por cima do meu ombro, quando perguntei para quem ou para onde ele estava olhando ele respondeu “nada Gabriel, nada” então insisti e perguntei novamente, e ele então comentou “Gabriel, quero ficar quietinho”. Foi quando percebi que estava com vergonha ou medo de algo.

Terminei de arruma-lo e enquanto fechava a porta do carro olhei ao redor para descobrir quem ou o que era o motivo daquele comportamento. E quem eu vejo? Nada mais nada menos que o Papai Noel conversando ou pelo menos tentando conversar com uma criança.

Agora estava explicado, pois sabemos que o dudu não é o mais simpatizante com a figura Natalia que ali estava.

Neste momento quero lembrar que quando disse que não poderíamos ir nos brinquedos do supermercado eles respondeu que ainda era cedo para irmos para a escola.

Pensei vou tentar uma aproximação, então comentei, “dudu vou parar o carro perto do Papai Noel e irei baixar o vidro para você poder pedir uma bala para ele combinado?” Ele imediatamente se ajustou na cadeirinha e respondeu, “não Gabriel, não precisa”. “Como não precisa dudu, vc está com medo dele?” “Não, não tenho medo”, ele respondeu arregalando aqueles lindos olhos. “Então dudu porque você não quer falar com ele?” Foi quando ele me surpreendeu com sua resposta “porque irei me atrasar para escola, vamos Gabriel, vamos”.

Então analisei a situação é aprendi algo novo, o Papai Noel além de entregar balas e presentes também tem poder sobre o tempo. Em segundos fez o “ainda é cedo” se transformar em “estamos atrasados”. Após alguns segundos de risadas discretas cuidando para não constrange-lo, seguimos para a escola. Afinal durante a noite ele teria uma nova oportunidade de encontrar o bom velhinho.

One thought on “Poderes do Papei Noel

  1. Além de maravilhoso ter uma pessoinha dessa por perto!!!
    Com certeza é um grande aprendizado… E cada dia tenho mais certeza que temos mais à aprender do que ensinar!!!
    Aproveite cada um desses momentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *